Como diferenciar urgências e emergências no pronto atendimento

O Hospital Dom Alvarenga utiliza protocolo de classificação de risco em seu pronto atendimento para identificar prioridades e garantir assistência segura aos seus pacientes

Você sabe diferenciar urgências e emergências no pronto atendimento de um hospital?  Apesar de muito parecidas, no âmbito hospitalar, as duas situações possuem significados bem diferentes.

De acordo com o Dr. Daniel Valadão Zabukas, coordenador do Pronto Atendimento do Hospital Dom Alvarenga, as urgências são casos que necessitam de atendimento médico rápido, porém não oferecem risco imediato de morte ou complicação grave. “Exemplos disso são os casos da maioria das fraturas, amigdalite com febre, infecções urinárias simples entre outros”, explica o médico.

Já os casos de emergências são aqueles que exigem atendimento e intervenção médica imediata pelo risco eminente de morte ou agravamento importante do estado de saúde do paciente. “Infarto agudo do miocárdio, parada respiratória e/ou cardíaca, hemorragia volumosa e crise grave de asma são exemplos de emergências”, detalha o especialista.

O Dr. Sérgio Antônio Pulzi Júnior, diretor Clínico e Coordenador Médico da UTI do Hospital Dom Alvarenga, esclarece que para separar os pacientes mais graves dos menos graves existem diversos protocolos internacionais de classificação de risco que definem a prioridade de atendimento. Esta triagem se baseia em sinais, sintomas e/ou suspeita diagnóstica, realizada por um médico ou enfermeiro capacitados.

“Existem diversas escalas internacionalmente aceitas. Geralmente são até cinco níveis de prioridade, representados por cores ou números e cada um estabelece um tempo de espera potencialmente seguro para que o atendimento médico ocorra”, afirma.

Ainda sobre os protocolos de classificação de risco, o Dr. Daniel Valadão reforça que a instituição possui um sistema de triagem que organiza os pacientes a partir da abertura da ficha de atendimento. “O intuito disso é melhorar a segurança no atendimento. Esse sistema prioriza os pacientes de acordo com critérios de gravidade. Para isso, identificamos os pacientes com as cores azul, amarelo, laranja e vermelho, sendo a azul atribuída aos casos menos graves e a vermelha aos mais graves” reforça o médico.

Saúde é coisa séria! Segundo os especialistas, é importante que as pessoas estejam atentas e se cuidem. “Independente da situação é aconselhável que o paciente procure um atendimento médico para diagnóstico e tratamento adequado do caso, evitando agravamento do seu estado de saúde”.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.